segunda-feira, 25 de maio de 2015

Não estranhe..

Se um dia eu também lhe for estranha, distante. Não estranhe se minha força sem você for outra. Se a curva do destino for menos sinuosa. Não estranhe se eu não mais quiser entrar em detalhes, se não mais puder evitar outros olhares. Não estranhe esse meu silêncio repetitivo. Acho que o tempo anda mudando o lado dos ventos. Anda mudando algo aqui dentro. Eu sinto. Por isso, não estranhe essa minha capacidade de fechar a porta e não olhar mais para trás. Talvez, só falte isso.


sábado, 23 de maio de 2015

Hoje..

Hoje me pediram pra ter força. Pra guardar as lágrimas. Pra não esmorecer. Pra continuar cumprindo o meu papel, aguardando um novo amanhecer. E eu pedi aos céus a proteção divina. Eu pedi essa força que muitas vezes, quer fugir de mim. Que me deixa frágil, mostrando meu lado que também sente, também cai, desestabiliza e também vai ao chão.
E durante o sono, durante meu encontro com o plano espiritual eu busco a luz, a intuição.
Carrego o fardo que devo carregar, e aguardo a providência divina me mostrar o caminho, a direção.

Sil Guidorizzi...

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Falta o teu abraço..

Falta o teu abraço. 
Aquele que o tempo não deixa esquecer. 
Aquele que o corpo tem vontade de receber. 
Aquele que conversa e diz tudo que você precisa saber.

Carta para Deus..

Hoje escrevi uma carta para Deus.
Escrevi com a alma de joelhos. Escrevi com o coração.
Pedi que ele ficasse comigo nas noites mais escuras, nos dias em que houvesse chuva.
Nos dias em que eu não soubesse mais de mim.
Me senti melhor e mais (re)feita.
Com o corpo leve e solto, em prece, agradeci:
Obrigada, por mais uma vez, cuidar de mim.

Amém!

Fico aqui imaginando..

Fico aqui imaginando o tanto de vida que dá pra gente amar em um segundo. 
Parece pouco, mas para o coração não. 
Ele capta absolutamente tudo.


Tenho..

Tenho evitado olhares frios, sentimentos pobres. Tenho esvaziado as esquinas da mente..
Me distraio, fazendo com que o coração se mexa mais e a alma se encante. Não ando distante: Tenho tirado do peito esses nós que hoje passaram, e colocado nos pés, a calma do viver. Não tenho tanta pressa assim. Tudo é no tempo certo, no tempo de Deus. Tenho me ajustado. Tenho estado muito mais próxima de quem sabe se chegar. De quem também faz acontecer. Nada é simples e nem tão complicado assim. A vida passa, pessoas vão, amores novos e frescos retocam a alma, iluminam por dentro.
Tudo é instante, momento. Tudo é feito para evoluir. Tenho sim, evitado a sensação de perda, e estimulado a mente, o corpo, a vida.
Ando exercitando esse livre arbítrio. Essa coisa só minha. E quer saber... Pouco me importa se alguém se incomoda. Eu aprendi a separar muitas coisas. E dentre elas, a não prestar contas. Afinal de contas, quem aprende a caminhar com as próprias opiniões e sentimentos, sabe que dar a cara para bater, é também se ferir. Mas, apesar de tudo, eu creio na felicidade como estado de espírito. Felicidade essa que é primordial no meu jeito simples de conviver e sentir.


Sil Guidorizzi