quinta-feira, 14 de abril de 2016

De repente..

De repente a gente fecha a porta e se tranca por dentro.
De repente a gente quer mais é ficar só. Quer ter paz. Não quer saber de nada que nos machuque o coração.
Nem que seja por uns instantes, por uma hora. Por uma vida inteira. É preciso saber recolher as armas. É preciso (re)aprender a caminhar com as próprias pernas.
De repente ficou sério. De repente é só uma ideia que passou pela cabeça.
De repente a gente puxa uma cadeira e senta. E acaba sendo interpelado pelo próprio coração.
De repente a gente só precisa se (re)educar e aprender a respeitar as próprias querências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário