quarta-feira, 20 de julho de 2016

Tenho sensações que ninguém nunca viu..

Tenho pensamentos secretos. Modos discretos. Tenho sensações que ninguém nunca viu. Faltou tato, faltou jeito, faltou completude pra que pudesse relaxar e deixar vir.
Tenho passagem pra vida. Bilhete nas mãos. Tenho mania de conversar com a lua, misturar cores e pensar na próximo sonho e desejo.
Já deleguei a mim o que precisava mudar, o que deveria esquecer e o que jamais deveria pisar no portão da minha casa novamente. Já retirei as ervas daninhas do meu jardim, já comi grama, ralei os joelhos.
Não guardo rancor na alma. Não guardo nada. As lembranças que tenho são minhas e de mais ninguém.
Ainda hoje guardo coisas que nunca contei. Imagens que nunca esqueci. Sentimentos tortos que nunca se endireitaram dentro de mim.
Agora me ajoelho apenas diante do amor que sinto por mim, por Deus. Diante da gandiosidade e beleza de cada minuto merecido.
Busquei-me, me trouxe de volta. Hoje na mente silenciosa e inquieta, balanço, flutuo, vejo.
Esse é meu jeito. Dói as vezes.
Agora, mais estranho seria se eu não conseguisse me (re)erguer. Mais estranho seria se eu não emergisse de dentro pra fora. Como quem adormece dentro da caixa, sem querer nunca mais sair..

Nenhum comentário:

Postar um comentário