terça-feira, 13 de setembro de 2016

Nada me pertence..

Nada me pertence. As palavras rabiscadas a giz. O amor que amou mais do que se deveria; o tom carmim.
Na verdade não quero que o tempo leve cada abraço suave de vida que dei. Cada pedaço de chão que pisei arriscando ainda mais os meus desejos de felicidade.
No mais, não sei.
Está tudo tão perto e ao mesmo tempo tão distante.
Falta completude sem exigência, sem perfeição.
Vou deixar o coração desatento. Vou seguir sem achismos. Vou deixar os pés descalços sentindo a transição dos dias.
Só peço a Deus, luz e proteção.





Sil Guidorizzi..

Nenhum comentário:

Postar um comentário