domingo, 11 de dezembro de 2016

Essa moça.

Essa moça que resiste aos temporais e perdoa a si mesmo, tem garra. 
Ela ainda conta estrelas, viaja dentro do próprio mundo.
Ela ainda sorri de canto. Beija as manhãs. Abraça tardes ensolaradas. 
Ela anoitece no colo de Deus. Agradece.
Essa moça jamais se abandonou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário