quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Obrigada, meu Deus!

Aí vou olhando o findar do dia entre o céu meio cinzento, meio chuvoso, meio desbotado pela força do tempo.
Mas dentro de mim há uma gratidão sincera e um jeito só meu de sentir as coisas que complementam minha estada aqui.
Sou terrena, mas sou do ar, sou da luz. Sou de quem não me fere, não me machuca, não me odeia.
Amo a vida que brota cada dia dentro de uma nova etapa. Amo, mesmo que não me entendam, que não me vejam, que nem sintam o perfume que possuo no coração.
Talvez eu desenhe alguma coisa, rabisque outra. O que eu quero é me deitar com a consciência tranquila e dizer: Obrigada, meu Deus, por mais um dia e pela sua fraterna proteção.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Estou tentando a sorte..

Estou tentando a sorte, estou rumando pro norte, estou indo assim, sem exagero, sem imaginar o que vai ser.
Mas tenho no peito a vontade larga e exuberante de encontrar tudo aquilo que o coração sente que é hora de viver.
Então vou dizendo adeus a certas coisas com elegância, vou me sustentando em minha fé, vou sem tentar adivinhar o que o infinito pretende de mim.
Então vou assim sem ficar de cabeça baixa, sem deixar de sentir o solo da vida, sem perder o foco da luz.
Estou tentando ser mais feliz assim..

Deus é minha fonte de luz e inspiração e tudo que preciso atravessar, atravessarei com fé!

Deus é minha fonte de luz e inspiração e tudo que preciso atravessar, atravessarei com fé!: Vida, passei pra dizer que Deus é minha fonte de luz e inspiração e que tudo que preciso atravessar, atravessarei com fé, sem jamais me esquecer de que sou

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Viver!

Passei minha vida tendo que me acostumar com muitas coisas. Hoje eu vi o quanto errei, muitas vezes tentando agradar aos outros e não a mim.
Está na hora de virar a página. A vida passou, algumas marcas ficaram, mas o tempo é sábio.
O despertador da vida tem tocado com mais frequência, me alertando das coisas que não posso esquecer. Uma delas é viver.
Viver, porque a vida é trem bala parceiro e somos passageiros prestes a partir.
Sil Guidorizzi...

sábado, 4 de novembro de 2017

Amor liberta..

Amor liberta.
É preciso saber amar e assumir-se na sua inteireza. Que não se ofereçam metades pra quem quer abraçar você como se fosse seu mundo.
Amor não se mensura. Não se cobra e muito menos se exige.



Só quero viver de amor..

O que eu sei é que a vida muda a gente muda a convivência com algumas pessoas, afasta outras, atrai coisas novas, leva o que não é mais preciso pra outros lugares bem longe do que não estamos mais dispostos a conviver.
Ela vem e nos faz buscar a chave para outra porta, nos testa e nos faz buscar respostas.
O que eu sei é que eu não sou mais a mesma em muitas coisas.
Mas eu sei tudo que guardo na gaveta do coração, tudo que armazeno como mantimento da alma.
O que eu sei é que muita gente passou, pouca coisa ficou e tudo tem se transformado.
Um dia eu ouvi: Você não é nem metade daquilo que foi. Verdade.
Talvez porque eu queira inteireza, honestidade, compreensão e viver de amor.
Sil Guidorizzi..


sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Carinho..

Às vezes a gente só quer um carinho e uma passagem aberta pro coração sentir que está tudo bem..

Teu caminho é luz!

Tudo parecia tão longe até que Deus se sentou ao meu lado e disse: Filha, nada como outro dia pra você compreender que nada é tão impossível a ponto de não te fazer reagir.
Você vai vencer. Aliás, você já é vencedora só por ter se superado em muita coisa, inclusive naquilo que muito lhe doeu. 
Teu caminho é luz. Acredite!



O que eu sei é que a vida muda a gente..

O que eu sei é que a vida muda a gente muda a convivência com algumas pessoas, afasta outras, atrai coisas novas, leva o que não é mais preciso pra outros lugares bem longe do que não estamos mais dispostos a conviver.
Ela vem e nos faz buscar a chave para outra porta, nos testa e nos faz buscar respostas.
O que eu sei é que eu não sou mais a mesma em muitas coisas.
Mas eu sei tudo que guardo na gaveta do coração, tudo que armazeno como mantimento da alma.
O que eu sei é que muita gente passou, pouca coisa ficou e tudo tem se transformado.
Um dia eu ouvi: Você não é nem metade daquilo que foi. Verdade.
Talvez porque eu queira inteireza, honestidade, compreensão e viver de amor.


quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Felicidade é desejar o bem ao outro..

Às vezes fico aqui pensando na vida, na direção que ela tomou.
Nas coisas que eu disse adeus, nas pessoas que chegaram e se foram assim tão rapidamente, feito passageiros do tempo.
Eu penso nas causas do amor, nas coisas que não me deram chance de escolha, nas promessas que ouvi nas flores que recebi na vontade que tive de ter alguém pra vida inteira; na crença do amor eterno, no encontro de almas, em tudo que desencadeou o meu hoje um pouco solitário, mas ao mesmo tempo digno e suficiente.
À vezes penso no apoio que não tive, na coragem de ter deixado tudo pra trás só pra poder me recomeçar depois de ter me anulado tanto, por ter que me fingir de morta vendo tudo que prejudicava meu coração.
Hoje um pouco nostálgica, sinto que não posso confidenciar o que vai a mim, assim.
Sou um livro de cabeceira, sou oração no meio da noite, sou mais reflexão e silêncio.
Eu tenho um mundo particular, um mundo meu. Um mundo onde ninguém mais vai passar por cima de mim e nem dizer que eu não mereço felicidade.
Porque felicidade está em desejar o bem ao outro, está em querer que todos fiquem bem.
A diferença está na vibração e no coração de quem entende e compreende as leis de Deus.
Sil Guidorizzi...

Eu não quero muito..

Eu não quero muito. Só quero um colo que me receba, um café pra jogar conversa fora ou espantar a tristeza.
Não quero conflito, não quero ter razão.
Quero só sentir que a vida vale à pena e deixar que Deus cuide de tudo pra mim.
Estou me ajudando, estou me cuidando.
Tenho feito minha parte. O que os outros pensam ou acham, não tem muita serventia pra mim.

Novembro!

Novembro se anuncia como novo tempo.
Tempo de Deus, tempo de a gente viver mais e não desperdiçar cada detalhe que encanta o olhar e a vida feito sagrado que abençoa o coração.
Vai lá e segura na mão de quem você ama, abraça quem você sente saudade, crie laços de sinceridade com que lhe dá tanto afeto e lhe transmite a sensação de segurança e conforto na alma.
Apaixone-se mil vezes. Escreva no diário da vida quantas vezes você se permitiu sorrir e sentir a sensação de completude no peito.
Solte-se ao vento, espante tudo que for ruim.
Atraia, mentalize, queira.
Sinta o cheiro do novo momento. Respire, inspire, atraia luz.
Que seja um novembro de alegria e paz, fortalecido pelo alto e por tudo aquilo de bom que você puder construir, receber e ser grato.
O amor é o alicerce da emoção e do sentir.

Imagem - Google



terça-feira, 31 de outubro de 2017

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Ame-se!

Amar-se é cuidar de si mesmo. É procurar dentro de si o que está acontecendo quando algo não vai bem.
É solicitar a cura, o entendimento o processo de melhora dentro da alma. É não largar-se como se todas as suas atenções tivessem que ser voltadas ao próximo, como se você tivesse a obrigação de se deixar muitas vezes adoecer por conta de coisas que lhe secam o espirito.
Primeiramente é preciso aquecer-se, cuidar-se e não sentir culpa de ter chegado ao próprio limite dando um basta naquilo que pra você já não mostra nada além de tristeza, incômodo e ingratidão.
Você não pode viver a vida de outra pessoa e não pode deixar a sua pra que outros a manipulem.
É preciso aprender a silenciar, e estabelecer uma conexão com o alto e com aquilo que se busca.
É não dar ouvidos a quem apenas julga e só lhe culpa dizendo que você nunca teve serventia, mesmo sabendo que sua serventia é a Deus.
É aprender a entender os próprios limites e dar um basta naquilo que já machucou demais o coração.
Amar-se é acima de tudo valorizar-se, é acreditar em sua competência como ser humano e jamais se sentir degradado pela opinião de quem não lhe entende, muitas vezes lhe cega e não habita em teu ser.
Quando não se está bem, o melhor é desacelerar e ir de encontro ao que lhe remete mais força e menos dor.
É hora de fechar certos ciclos, limpar certas arestas e confrontar-se mais com a vida. Ela lhe direcionará para outro seguimento, onde boas manifestações de amor se sobressairão diante daquilo que muitas vezes o tempo não permitiu.
Algumas dores serão inevitáveis porque as próprias falhas serão como faiscar para acender a ira de quem não tem um segundo de compaixão pelo outro.
Ame-se, mas acima de tudo posicione-se. Porque você precisa de alimento espiritual, precisa da cura, precisa se entender consigo mesmo.
Não se acabe por conta de ninguém. Recomece, e se preciso saia do limbo em que se colocou por viver se penalizando pelas faltas e pelos erros que nem são seus.
Busque a luz que acende e reacende os dias, como quem sente que se amar é mais que valorizar a matéria.
Amar-se é agradecer todos os dias a Deus pela vida e pela dignidade de se sentir livre, é como simplificar o que conturbou o coração, é desprender-se daquele sentimento que não lhe pertence, é sentir ao tocar o chão à presença de uma raiz que exibe uma alma mais bonita.
Ame-se em primeiro lugar, ame-se porque você escolheu ter uma vida. E ela é teu altar sagrado, aquilo que te sustenta e te dá energia pra seguir adiante.
Para ajudar o próximo, primeiro esteja próximo das suas coisas, do seu eu. Não se distancie de você.
Ame-se sempre amando a quem precisa, na condição de humanizar-se e zelar-se com todo carinho que você merece, também!

Imagem- Google


sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Amém!

Foi quando Deus me disse: Filha, vá descansar. Não pense demais, não sofra demais, não espere demais.
Você precisa de solução e não de desespero.
Você faz o que pode, você luta com bravura por mais que te anulem, por mais que não te compreendam.
Você tem a favor sua fibra, seu tempo e meu tempo.
Segure-se em mim. Vamos juntos ao caminho da luz. 
Eu lhe protejo.
Amém!
  

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Ninguém precisa saber quão feliz você está. Há coisas que ficam entre você e Deus. E mais ninguém.

Ninguém precisa saber quão feliz você está. Há coisas que ficam entre você e Deus. E mais ninguém.: Dizem que antes de morrer e deixar o corpo físico, é preciso que o ser humano plante uma árvore, tenha um filho e escreva um livro. Já fiz as três coisas.

Eu te perdoo..

Eu te perdoo. Perdoo porque não quero mais te carregar como se fosse um fardo, como se fosse algo que tivesse destruído meu mundo.
Eu te perdoo por ter te amado como te amei, por ter te dado a chance de ficar e você decidiu ir. Decidiu viver a vida que idealizou longe de mim.
Eu te perdoo. Perdoo por você ter me aberto os olhos e ter aprendido que nem sempre a gente pode depositar todas as fichas em algo que ainda não se definiu e que deixou sequelas na alma.
Mesmo assim, eu te perdoo porque não faz bem levar pra vida o que já foi e já passou.
Por isso eu entrego ao universo tudo aquilo que não me deixa fluir nem flutuar quando penso nas coisas que o destino pode me trazer.
Por vezes me sinto alguém de asa quebrada; mas, que mesmo assim, ainda consegue dar impulso e tocar a vida pra frente como deve ser.

Ela decidiu seguir em frente..

Ela decidiu seguir em frente. Decidiu tomar um banho de autoestima e colocar a vida pra cima.
Ela não desistiu dos sonhos e nem das coisas que ainda busca.
Mas ela aprendeu a ir mais devagar e cuidar mais daquilo que lhe é valioso.
O que pra muita gente é pouco, pra ela é nobreza. O que muita gente acha que é pobre, pra ela é como ganhar na loteria do tempo.
Ela decidiu assim. Sem sair gritando aos quatro ventos o que vai dentro.
Mas ela sabe que tudo tem sua hora e Deus jamais a deixará sem resposta.
Ela aprendeu a ouvir-se em silêncio.
Sil Guidorizzi

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

O trem sempre passa..

Muitas vezes eu me deixei em plena rendição.
Rendição dos meus atos, rendição a Deus, rendição aos percalços que me fizeram tropeçar algumas vezes e da maneira quase sufocante de buscar ar nos momentos mais difíceis.
No fundo eu não deixo de sair de casulo e tentar. Tentar meus absurdos tentar afastar meus medos e me submeter mais as condições do solo que piso mesmo que por vezes eu queira voar.
Voar para longe, distante do olhar dos abutres, distante das palavras que feriram diante daquilo que um dia me fez feliz e ao mesmo tempo me deixou tão ausente quantos meus sonhos que se perderam em um dia qualquer onde tudo mudou meu destino.
Eu sou plena de amor, sou plena daquilo que me sustenta, fermenta e que vai aumentando na alma, feito calor que aquece e oferece o abraço que pode cuidar amparar, sustentar a leveza de algum ser.
Eu nunca fui nada do que me rotularam, eu nunca fui muito de querer interpretar as coisas, mas já fui corajosa o suficiente pra bater a porta e dar adeus sabendo que era preciso.
Tem coisas que não precisam de interpretação; só de vergonha na cara e por vezes até um pouco de indiferença e cinismo.
Porque muitas vezes eu deixei que se apoderassem demais do meu terreno e muitas vezes eu fraquejei. Fraquejei e não me envergonho disso.
Um dia eu tive, no outro, não mais.
Um dia encontrei, no outro fui procurar de novo sem saber pra quando ou pra quê tudo aquilo.
É porque eu não desisto de mim, nem de nada que possa melhorar minha alma e minha condição como ser humano.
Sinto que cresci e ao mesmo tempo me revi naquele tempo mais inocente sem pedras atiradas, sem maldade, sem preocupações.
Tempo de pé descalço de correr pela rua, de não precisar ter jogo de cintura nem de tentar apaziguar o tanto de emoção que transborda porque não deixei sair, não dei passagem. Não dei vazão.
Porque bem ou mal eu tenho uma vida pra cuidar e o tempo de Deus pra viver.
Sou real por mais que dance em meu imaginário, por mais que eu queira viver tudo dentro de um segundo.
Minha lucidez ainda me alerta, minha esperança ainda me acalma.
Não importa. Não importa a quão desumana as pessoas sejam. Não importo em qual estação eu fiquei.
O trem sempre passa e eu embarco na hora em que meu coração sentir que é preciso dar continuidade em meu viver.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Essa moça é de fino trato..

Ela tem essa mania de andar pela casa e procurar coisas que não encontra, de acender a luz da varanda, de dar uma olhada lá fora e se sentar na poltrona que recobriu com um pano mais alegre e observar o vaso de flor em cima da mesinha de madeira que decora o ambiente simples.
Por vezes ela não percebe a hora e sente vontade de fazer um café em meio à madrugada e sente como se a noite fosse uma criança pronta pra trazer a ela lembranças de uma infância que já passou, mas não a deixou despercebida.
Ela olha os quadros, sente que precisa de algumas mudanças, que a grana anda meio curta, mas que a paciência tem se mostrado superior aos desesperos momentâneos que a acometem entre os dias.
Ela vai até o quarto veste algo mais leve e descalça, pisa no chão como quem quer se refrescar de alguma coisa, como se quisesse sentir que o que corre nas veias é algo mais intenso do que pequenos acidentes, pequenas avarias na alma.
Ela abre aquele livro de cabeceira, volta pra sala, liga a TV., e tenta se concentrar em tudo ao mesmo tempo. Na verdade ela nem sabe onde anda a cabeça, o coração o seu começo.
Ela anda precisando de sossego, silêncio, sem querer confundir mais ainda o que precisaria separar por sentimentos. Dispersa,
nem repara na confusão mental que cria ao se achar autossuficiente.
Há nela algo que não dá pra entender bem, há nela uma coisa ao mesmo tempo tímida e irresistível, meio visceral, algo que lhe toma e a faz ser alguém tão encantadora quanto um por de sol de tirar o folego quando está se despedindo antes de deixar o anoitecer acontecer.
Ela chama a atenção por sua inteligência por sua impulsividade quase aflorada quando não pensa e sai logo dizendo que sente.
Muitas vezes ela retorna aos prantos e se condena por coisas que não queria sentir.
Ela chora, ela sofre como se fosse seu último suspiro de vida. Mas ela ama, ama com a coragem de quem não teme o que vem pela frente.
O mundo por vezes pesa, mas ela dança e se sente livre em meio ao caos do seu desarrumado em meio ao caos do coração que mesmo assim ainda se permite um perfume e um tempo mais firme.
Acho que ela merece tanta coisa boa, que não poderia enumerar, mas poderia pedir pra que essa moça tenha o amor que ela merece, tenha aquilo que a encante pelo resto dos seus dias.
Ela tem jeito de poesia na beira da janela, tem som de passarinho quando canta.
Tantas afrontas a separaram, tantas pontes ela atravessou só pra poder chegar do outro lado e se encontrar com os afetos que não foram restritos, aos aconchegos que souberam lhe dar paz.
De repente ela parou só pra sentir isso: O amor correndo nas veias, as passagens de Deus e a sensação de que tudo pode mudar.
Logo ela volta pro seu canto, agradece, faz uma prece e espera pelo novo dia, confiando mais uma vez no destino.
Essa moça é de fino trato, e com ela é preciso cuidado.
Preste bem atenção ao olhar dela.
Ele dirá o que for preciso.

Sil Guidorizzi..



Faça da tua dor aprendizado..

Faça da tua dor aprendizado; das tuas vitórias um agradecimento sincero.
Faça do teu caminho um lugar pra se sentir bem; dos teus dias um estado de atenção e vigília.
Faça da tua vida morada bonita. Esqueça o tempo ruim de quem não lhe quer bem.
Sil Guidorizzi..
Imagem- Google

Sendo amor, eu enfrento..

Por mais que a vida me ponha à prova, eu vou tentar me ajeitar, por mais que as horas demorem a passar e meu coração queira menos agonia, vou buscar aquele afeto que traz luz ao caminho.
Vou tentar não surtar, vou tentar não perder a minha identidade que um dia deixei junto do viver nas melhores e piores horas.
Por mais que eu sinta meus fracassos batendo à porta, eu vou tentar não me desmanchar em apelos e impossibilidades.
Vou atracar meu barco naquele porto que me transmite mais do que segredo, mais do que mistérios mais que um labirinto cheio de buscas pra que eu finalmente me encontre e pare de desacreditar nas várias tramas do amor, pare de repensar tudo que já foi filtrado e esquecido lá no fundo daquela caixa sem memória.
Porque eu sou história sou pedaço, sou algo mais concreto por vezes vivendo um lado mais indiscreto e sedutor do que eu escolhi.
Por mais que se derramem em palavras eu quero atitude, quero respirar, quero aquilo que por um segundo me trava e ao mesmo tempo me bambeia, me desdobra, circunda a alma, chegando ao ponto mais alto do meu altar particular.
Mas se um dia eu desistir depois de ter tentado tudo que foi preciso vou sem recriminar, vou sem me alongar, vou sem querer me desculpar pelo que ofereci.
Mas que eu jamais esqueça que tentei, que senti que aproveitei cada respiro como quem se deleita dentro da própria história atravessando aquele final ou aquele inicio em que de alguma forma não soube muito bem conduzir, mas que me trouxe tanto de mim à tona.
Não vou à toa, não vou assim sem saber de nada. Mas vou acreditando nas coisas que eu consegui reconstruir dentro de mim.
Por mais que eu me lance ao vento, vou contra as coisas que não me chamam não me atendem, não me surpreendem.
Estou mudando certos hábitos sem escrever roteiros, mas prevendo que nem sempre o sorriso vai estar tão largo e atento, e que o procurar-me mais vai além do que o céu e a terra podem me dizer.
Os muros não me impedem, as pessoas não precisam me compreender.
Basta que eu me encontre com um único olhar que pode mudar tudo.
Garanto que pode ser um segundo, mas é assim que o coração vai aprender a lutar e a não só existir.
Dentro do que muitas vezes silenciosamente sem que ninguém perceba a alma permitiu acontecer.
E sendo amor, eu enfrento. Porque amor também é delicadeza, é inteireza é aquilo que enfeita todas as manhãs o próprio ser.

Eu ainda arrisco..

Como posso apagar tudo aquilo que foi intenso?
Sinto como se tudo fosse um eterno remexendo por dentro. Parece uma saia justa uma coisa que acumula e não se separa da essência.
É que quando a gente ama, a gente entranha, palpita, vicia. E a gente esquece um pouco do medo, vive as coisas sem freio e quando vai perceber, aconteceu.
Então que me perdoem os corações mais frios, que me perdoem as portas fechadas sem ar e sem janelas, mas eu ainda arrisco.
Talvez seja por isso que vez em quando eu deslizo a alma até onde não prometi nada, mas não me proibi de viver aquilo que me fez feliz.
Imagem - Google

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

É assim que me enfrento..

Por vezes sou uma alma solitária e distante. Por vezes me surpreendo de uma forma tão incomum que volto sem deixar ferida aparente, sem me queixar, sem fazer drama.
Talvez eu seja meio estranha, talvez eu seja eu mesma e muitos não compreendam.
Deve ser por isso que absorver o tempo seja uma forma de resposta à vida.
O peso das coisas já não são os mesmos e o sentido do que quero no momento se torna parceria.
É assim que me enfrento, que acalmo as tempestades e encaro meus dias.

Quero sim..

Quero deixar saudades antes mesmo de você chegar.

Sil Guidorizzi..

Amor é conquista..

Amor é conquista. É a capacidade de jamais desistir daquilo que o coração conseguiu captar com aquilo que internamente se encantou.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Precisamos de paz...

Às vezes precisamos de distância e tempo. Pra que os hematomas desapareçam, pra colocar a casa em ordem, pra juntar forças, redobrar a vigilância e prestar mais atenção ao que a vida anda mostrando.
Às vezes só precisamos de paz e mais de nós pra curarmos o que vai ao coração.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Estou bem..

O que posso fazer agora é descansar o coração e dizer a Deus que estou bem.
Que meus pés estão descalços, minha alma está mais consciente do que Ele quer e que nem tudo é tão complicado assim.
O que eu posso fazer é agradecer por não ter me corroído por dentro, por ter deixado entrar em meus ouvidos o som do silêncio e sentir a voz do amanhecer.
Paz adquirida não é furtar o sossego de ninguém.
É estar com a consciência em dia e apta a entender que só se vence o mal através da força do bem.
Amém!
Sil Guidorizzi
  

Não adianta..

Não adianta ansiedade, não adianta me apressar tanto.
Se Deus me ouvir e for de merecimento, ele fará chegar até mim o que almejo.


Eles..

(...) Eles se reencontraram. Se abraçaram com tanta ternura, que não dava pra saber onde começava ele, onde terminava ela.
Finalmente estavam ali.
Juntos e seguros, um no outro..

Talvez..

Talvez eu ainda te ame, talvez eu ainda te chame, talvez eu já tenha te escolhido lá de outra vida.
Talvez eu te espere, me desespere, talvez eu mande noticias.
Talvez eu ainda sinta o céu forrado de estrelas e a gente se deite nele só pra sentir que o toque ainda faz falta, e que o amor ainda aflora quando você sorri e me beija como antes.
Tocar tuas costas me leva a um lugar mais distante que não dá pra mensurar, quando você me puxa pela cintura falta o ar.
Certos gostos à gente não esquece, certos sentimentos enraízam, certas confidências não se espalham a ninguém.
Acho que nada mudou. Talvez nosso semblante um pouco mais maduro, talvez as coisas que tivemos que passar esse tempo todo um longe do outro. Mas quer saber?
Eu ainda te adoro, eu ainda sinto como se você me provocasse por inteiro. Como se fosse aquele janeiro em que saímos sem rumo, ou naquele dezembro em que te reencontrei.
Não sei, mas cada vez que aquela música toca, eu volto no tempo. Volto mesmo. Talvez eu a dedique a você, talvez eu a cante em seu ouvido. Talvez eu viva insistindo nesse talvez que me assombra, mas que me dá uma luz perceptível ao coração.
Talvez eu continue sonhando abrindo meu diário e te colocando ali, sem que ninguém mexa, sem que ninguém interfira nas coisas que escrevo pra você.
Ninguém pode me proibir de ser feliz, ninguém pode me proibir de amar alguém. Foi assim que a vida quis. Tudo bem.
Talvez na próxima ponte aérea talvez na próxima viagem ao redor do mundo eu te abrace e dê várias voltas dentro do seu eu.
Há coisas que não se explicam, e mesmo o tempo passando, seguem junto e por vezes se identificam num lugar mais saudoso, num canto que já foi bom.
Só queria que você soubesse que não te impedi de viver sua vida e nem fui atrás pra pedir justificativa de nada.
A vida é algo muito misterioso pra que eu queira jogar as cartas ou pedir para lerem minhas mãos.
O passado passou, o hoje é aquilo que guardo a sete chaves.
Sinto como se tudo fosse um grande Ballet.
Um Ballet de amor.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A gente só quer viver de amor..

Muitas vezes precisamos nos abrigar no abraço de alguém e colocar todas as nossas angústias pra fora, colocar nossas fortalezas ao chão e deixar a fragilidade vir, deixar o choro sair, deixar tudo que barrou nosso coração se perder na poeira do tempo e torcer pelos ventos que sopram a nosso favor.
Muitas vezes nós só queremos quem nos compreenda, sem ficar o tempo todo nos julgando nos recriminando, nos dizendo que não somos capazes de nada.
Só queremos alguém que segure nossa mão e não a solte por qualquer motivo banal, qualquer briguinha sem sentido, por qualquer desculpa esfarrapada só por não aceitar o arsenal de vida que temos no peito. Quem não tem..
Muitas vezes só buscamos uma palavra de incentivo, um: “Está tudo bem”.
Por vezes buscamos leveza, buscamos quem nos carregue também no colo e que nos coloque em cima de um lugar confortável e macio onde o nosso mundo é do tamanho da felicidade e do bem estar que sentimos no momento.
Não importa onde seja, mas que seja onde exista menos guerra trazendo mais quietude dentro do próprio eu.
É preciso apaziguar a alma, as pessoas, é preciso mais comedimento e entendimento.
Por vezes é preciso tão pouco.
É preciso manter um elo espiritual com a vida e com as pessoas que não merecem partir. Pessoas que são tão raras que jamais terão preço.
Muitas vezes a gente sente que vai dar certo, sente que Deus está colaborando conosco e está nos dando aquela tão sonhada chance do agora.
Muitas vezes a gente não percebe, muitas vezes a gente segue e não vê o que é preciso, não sente o que é bonito e deixa ir, sem conseguir provar o gosto daquele sentimento bom.
Precisamos parar de nos podar, precisamos proibir que nos manipulem e se apossem do que não lhes pertence.
Muitas vezes a gente só quer o hoje transformado em plano aberto, horizonte limpo e unificar tudo aquilo que serve como prece bonita.
A gente só quer agradecer, não quer sofrer, nem padecer o tempo todo pelos nossos desenganos.
Só quer confiar, só quer sentir as raízes que se fincam na alma e se tornam grandes parcerias na vida nos mostrando muitas vezes que dá pra ser eterno, dá pra ser terno; dá pra se unir e ao mesmo tempo se compartilhar em nome do que vem lá do fundo e que gera encantamento interior.
Erramos, acertamos. Precisamos uns dos outros.
Na maioria das vezes, a gente só quer viver de Amor.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Você...

Você é meu livro de cabeceira, meu toque de recolher.
Minha taquicardia desavisada, minhas noites de insônia e desassossego.
Você é meu meio, é aquilo que ainda não teve fim.
Você é aquilo que ainda não resolvi.
É tempo que passou, amor que ficou, coração que sofreu.
Você não é passagem, você é viagem, é destino incerto.
É meu eu que te pertence, os beijos inconsequentes e tudo aquilo que acariciou meu ser.
Você é o que eu recordo, o que eu guardo o que eu não esqueço.
Você é lembrança boa, saudade apertada, página que eu ainda não consegui virar.
É história, memória, cheiro, é o que eu queria viver até o fim.
Você é vida que segue, dias que transcorrem, pensamento que por vezes envolve.
Você não percebe... mas eu ainda te sinto aqui..
Sil Guidorizzi
See more

Tudo está ali..

Conseguir adentrar a alma de uma mulher através do olhar é percepção que poucos conseguem. 
Tudo está ali. 
Exatamente no lugar que poucos veem, poucos buscam, poucos realmente se interessam..