terça-feira, 30 de maio de 2017

Ela acordou assim..

Ela acordou assim...
De um jeito peculiar e singelo, decidiu que já era hora de atravessar aquela ponte que dava pra um lugar mais seguro e verdadeiro.
Ela olhou-se no espelho, ajeitou o semblante e não fez força ou menção de reclamar.
Ela vinha duvidando dela mesma, de algumas coisas, vinha tentando entender por vezes o próprio destino.
Foi quando ela percebeu que o que vem sendo traçado foi um tratado com o alto, por isso não poderia questionar, mas por vezes poderia pedir água, jogar a toalha, ou descansar sob a sombra das próprias dúvidas. 
Ela foi moldando os dias, recuperando aquele tempo que apesar de ter passado não foi perdido.
Muitas vezes ela olhou pro céu e fez vários pedidos. 
Chegou a jogar a moeda da sorte dentro daquela fonte pra ver se aquele desejo aconteceria.
Na verdade muita coisa deu errada e muita coisa deu certo demais.
O que ela espera é o que vem dela mesmo. O que ela deseja, vem das coisas que ela enxerga ao abrir o olhar curioso pela manhã.
Ela tem ouvido os sons da vida, tem dançado ao relento; ela não se importa com a tempestade forte, com o norte ou o sul que a vida lhe permitirá.
Ela já foi mais descuidada, mas soube retomar as rédeas do coração, por vezes tão desarrumado e desajeitado feito desalinho de alma que não vê mais saída.
Talvez ela entenda que toda aquela bagunça também tenha sido culpa sua. Por ter permitido coisa demais e alguns excessos que trasbordaram o peito.
Ela juntou aqueles recortes de jornal, mudou as coisas de lugar, enfeitou a mesa da cozinha com aquela xícara que trouxe da última viagem e fez questão de preparar um café só pra ela, como se não houvesse nada além das coisas dela e das coisas que ela gostaria.
Ai ela percebeu que precisa se agradar sempre, mas que não precisa de sacolas abarrotadas de pertences que na verdade só vai ocupar espaço em seu mundo precisando de mais amor, mais cor, mais aprimoramento.
Ela descobriu que é mais fácil sentir a vida limpa de tudo, de pés mais soltos e coração apreciando mais o seu mundo.
Foi quando ela decidiu sair e andar por aí sem dar satisfações, sem precisar olhar pro relógio ou ficar preocupada com o que vão pensar.
Ela é dela. A soltura que sente é liberdade adquirida. 
A única coisa que ela quer é suspirar e sentir a abundância da sua vida.

Sil Guidorizzi..


Nenhum comentário:

Postar um comentário