sexta-feira, 10 de abril de 2015

Há um nó...

 
Há um nó que não se desfaz
.
Não desata do peito e sangra pelos olhos.

Desatino que mexe, desatino sem destino.

Saudade que adoece.

Mexe demais comigo.



Sil Guidorizzi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário