segunda-feira, 25 de maio de 2015

Não estranhe..

Se um dia eu também lhe for estranha, distante. Não estranhe se minha força sem você for outra. Se a curva do destino for menos sinuosa. Não estranhe se eu não mais quiser entrar em detalhes, se não mais puder evitar outros olhares. Não estranhe esse meu silêncio repetitivo. Acho que o tempo anda mudando o lado dos ventos. Anda mudando algo aqui dentro. Eu sinto. Por isso, não estranhe essa minha capacidade de fechar a porta e não olhar mais para trás. Talvez, só falte isso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário