quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Muitas vezes..

Muitas vezes fui covarde. Segui viagem. Revidei. Muitas vezes larguei certas vestes e aceitei o que a vida me deu. Carreguei meus fardos. Massageei o cansaço nos ombros e não mais duvidei do que poderia fazer, ou o que poderia ser.
Na verdade me assumi. Andei descalça, flutuei entre nuvens. Suportei as dores do mundo. Adoeci de amor. Adoeci de saudade. Convenci-me. Convenci-me de que tudo passa. E que nada vem adiantado ou atrasado. Vem no tempo justo. Justamente por ter de ser vivido assim..
Sil Guidorizzi

Nenhum comentário:

Postar um comentário