domingo, 17 de julho de 2016

Perdoe..

Perdoe se sou falha e (im)perfeita. Se não caminhei o suficiente para tudo entender. Perdoe se o coração transborda e quer amor. Perdoe se ainda faço questão do bem querer. Perdoe se ainda fraquejo, se ainda escrevo no peito palavras bonitas feito rosa em botão. 
Perdoe as minhas manias, meu lado meio estranho. Minhas sensações e intuições; imperceptíveis a olho nu.
 
Perdoe as páginas que rasguei. As coisas que grafei em tom mais escuro pra que pudesse (re)lembrar por onde me deixei.
Perdoe por ser assim. Liberta de tanta coisa e acorrentada a saudades extremas. Perdoe se o coração lateja, vibra e pede felicidade.
Perdoe, assim como eu perdoo a maldade alheia, a falta de compostura, os abandonos pelo caminho. Os dias mais frios.
Não me deixei sozinha. Não me deixei a própria sorte. Tenho Deus, tenho um norte, um sul. Tenho o sol que queima. Tenho a lua cheia. Perdoe se muitas vezes não caibo nem em mim.


Sil Guidorizzi

Nenhum comentário:

Postar um comentário