quarta-feira, 10 de agosto de 2016

É bem por aí..

Olhando pela janela, observei ao longe um horizonte vasto e diferente.
Arejei a alma, tirei os sapatos e pus-me a olhar com mais encantamento cada parte que vinha da natureza. Cada parte desenhada por Deus.
O relógio mostrava que já era hora de se ajeitar. De sentir as badaladas da vida unindo os ponteiros do coração.
Agora, o olhar meio distraído busca por noticias. Busca aquele velho rascunho com algumas notas que grafei pra não esquecer que teria que assumir alguns compromissos comigo.
Cada coisa resolvida, era como se algo dentro de mim resolvia-se também.
Fui até o quarto onde deixei a cama ainda desarrumada. Sentei-me ao lado daquele porta retrato de cabeceira e sorri meio bobo. Meio com o coração escolhendo aqueles momentos que já vivi.
Abri o armário, busquei algo simples. Algo que combinasse com o dia lá fora. Um jeans, uma camiseta básica.
Resolvi deixar o cabelo mais solto, mais livre como eu. Passei um batom cor de boca e me senti bem. Andei meio rebelde. Andei desafiando a minha própria natureza.
Silenciei por alguns instantes.
Deixei vir a música que rolava lá no fundo da sala. Pensei em como Deus estava sendo generoso comigo.
Corri até a cozinha pois havia esquecido o café fresco sobre a mesa. Percebi que a casa precisava de flores. Que os azulejos da cozinha precisavam de uma nova pintura.
Talvez nesse instante, eu precise de coisas novas. Mas também talvez precise muito mais de mim.
Voltei novamente a pensar nos desvios dos caminhos, nos encontros que abracei, nas esquinas cheias de gente buscando por algo. Algo que eu também buscava e nem ao certo sabia o que seria.
Só sei que algo aqui dentro havia sido mexido. Estava bom assim. Não sei porque, mas sentir o sol quente batendo no rosto era como sentir a  vida me puxando pelas mãos e me pedindo pra ir com ela. Nada de pressa; pensei.
Dei uma última volta pelos cantos da casa. Toquei em cada coisa. Senti a energia boa que atravessou o meu sorriso.
Olhei as paredes recém pintadas, as cortinas que esvoaçavam ao balançar do vento.
Senti que era isso. Que tudo poderia ser recomeçado. Que tudo poderia ser novamente ajeitado.
Fechei a porta e saí.. Saí pro novo dia. Pro novo tempo.
As coisas terminam e a gente recomeça.
É bem por aí..

Sil Guidorizzi**


2 comentários:

  1. Simplesmente PERFEITO!💗 Parabéns👏👏👏 Combinações perfeitas...me encontrei na maioria dos versos. Amei💋

    ResponderExcluir