quinta-feira, 23 de março de 2017

Viver e não ter a vergonha de ser feliz!

Pra hoje, que a gente seja mais feliz. Com ou sem pressa. E que Deus nos afaste de gente que não agrega em nada, nos afaste de olhares frios e vazios.
Que a gente possa ser o que quiser sem o consentimento de ninguém.
Ouvindo a música do saudoso Gonzaguinha cheguei à conclusão de que é preciso ser feliz. Estar, ser, acompanhar-se sem deixar-se por aí.
Viver e não ter a vergonha de ser feliz. Seja produzindo, amando, cantando dançando na chuva. Seja distribuindo gesto de simpatia e cordialidade.
Seja buscando cada partícula de respiro e emoção.
O que importa nessa vida é viver o presente. Deus nos concedeu esse tempo maravilhoso muito embora muitas vezes desconfiemos de muitas coisas de algumas pessoas, até de nós mesmos,
Mas quem somos nós.
Somos seres inconstantes cheios de travessias cheios de histórias cheios de sentimentos que transbordam na alma.
É tempo de dispersar a névoa úmida é tempo de agradecer mais. É tempo de sentir que lá do alto Deus protege e cuida de quem caminha com fé e mantém a espiritualidade no coração.
É preciso entender a essencialidade do caminho, das pessoas, dos que vem e ficam. Dos que partem e deixam aquele lugar vazio, mas cheio de significado e saudade.
Tudo tem um significado. Por vezes a vida demora a nos mostrar o por que. Outras nos mostra tão claramente como uma grande bola de cristal que surge para nos fazer ver o que realmente fizemos de nós mesmos.
Pra hoje, pra amanhã, pro sempre que nos permitirem é preciso construir-se e reconstruir-se.
Somos eternos aprendizes e a vida pode ser bem melhor e será se você contribuir, se você perceber que pode muita coisa e conseguir chegar lá.
Eu tenho tentado e não tenho desistido por mais que me olhem torto, por mais que me digam não.
Eu soube agradecer cada sim e ainda continuo disposta a encarar outros desafios.·.
Já tive o olhar marejado de tantas coisas que não cabiam mais e foram saindo assim.
Ou devagar ou na velocidade do sentimento.
Já me ausentei, já perdoei. Já joguei a toalha. Já corri muito e hoje ando até mais devagar.
Ainda quero sentir o gosto do olhar pro céu o gosto de um abraço demorado. Um gosto na palavra sincera que vem acompanhada de atitudes verdadeiras.
Viver e não ter a vergonha de ser feliz.
Eu acho que todos nós merecemos. Mesmo depois de tanta tempestade, tanta turbulência. Tantos sinais que a vida enviou e algumas vezes por teimosia ou orgulho não quisemos sentir.
Acho que dá tempo. Temos tempo. Temos tudo.
Esse tudo pode ser suficiente.
Pra você, pra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário