quinta-feira, 17 de agosto de 2017

O amor acontece..

O amor acontece. E quando ele vem, vem por algum motivo.
Amor é isso..
Não se apossar, mas tomar conta de quem faz o nosso mundo ficar mais bonito.

sábado, 12 de agosto de 2017

Só peço que me deixem viver.

Nessa minha incapacidade de por vezes não entender tudo, deixo o tempo passar, deixo o coração se ajeitar, deixo a vida me mostrar o que é melhor.
Apenas me ajudo, me cuido, me elevo mais. O que é pra ser vem no momento certo.
Já aprendi que por vezes tudo é um grande mistério inviolável.
Preciso aprender a desvendar as coisas que se aprofundam na alma.
Pode ser que demore. Pode ser que eu descanse. Pode ser que eu queira tudo em um segundo.
Penso demais, amo demais, sinto demais.
Talvez eu só queira um banco de praça pra sentar e olhar a paisagem, talvez eu só queira o silêncio das horas.
Talvez eu só queira inspirar e expirar tranquilidade.
Pessoas vão passando à minha frente, corações vão se desencontrando e se encontrando.
Vão se entreolhando.
Muita coisa pode passar despercebida. Outras, com certeza, manterão a chama da minha alma acesa.
Meu mundo não é tão complicado. Muitas vezes só não quero que mexam no meu desarrumado.
É através dele que muitas vezes eu acesso a página do querer.
Cada um vive dentro daquilo que acha melhor. Eu aceito os desígnios de Deus.
Vou deixar a pressa descansando em algum canto, vou esquecer os meus rompantes, vou procurar ser mais feliz comigo mesma.
Nessa minha visão meio torta dos próprios sentimentos muitas vezes me dou um tempo, me dou uma chance, me dou mais coragem pra colocar um ponto final naquilo que me interrogou me provocou me instigou e me mostrou que no final das contas escolher  outro caminho poderia ser muito melhor, poderia trazer mais chances de cura e evolução interna.
Quem nos macera a alma, não nos faz sorrir.
O que atrasa, não adianta, o que sobrecarrega não ajuda ninguém a subir mais um degrau.
Talvez eu só queira tomar um porre de amor próprio e me colocar mais em primeiro plano.
Talvez eu só queira dançar, conversar e ser cúmplice de um sorriso sincero.
Nada me falta.
Acho que quanto mais me liberto daquilo que freia, mais me liberto de todos os falsos argumentos, de todas as coisas que não deram certo, mas que Deus mesmo assim abençoou como sendo necessário.
Talvez seja isso. Parar de exigir tanto, parar de empurrar com a barriga o próprio coração.
Não tenho direito de anular minha vida, anular o que pretendo anular as coisas que se mostram à minha frente como guias de luz.
O tempo de Deus ninguém consegue prever.
Então, entre meus erros e acertos que portas se abram e se fechem dentro do que tiver que ser.
Só peço que me respeitem como sou, e que  me deixem viver.

(Sil Guidorizzi)..



quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Quando decidi ser paz..

Quando decidi ser paz desarmei as coisas ruins. Decidi viver por conta própria. Fechei o coração pro que não deu certo, parei de me rebaixar ou implorar atenção.
Quando eu decidi ter direito à minha vida desacorrentei o arrastar da alma, o que atrasa, o que não compreende, não vê.
Deixei ir. Parei de comparar, parei de lamentar, parei de aceitar sobras.
Quando eu decidi seguir em frente sabendo de todas as minhas responsabilidades tratei de respirar fundo, tratei de compreender mais o meu eu.
Joguei a toalha, abri a porta da rua e coloquei para fora o que me deixava infeliz o que não refletia amor, o que não era aconchego, o que parecia ser só desespero ou medo da solidão.
Parei de criar caso comigo parei de querer me sustentar onde não havia alicerce.
Quando eu decidi vestir a roupa de viver, parei de usar farrapos, parei de me sentir vítima e fui tentar a sorte; fui buscar meu norte com a bússola do coração.
Quando eu decidi ser paz eu não interrompi o ciclo da vida, nem deixei de enfrentar as tempestades, nem de sentir desejo de amor.
Só mudei o lado, mudei o prisma. Passei a me ver melhor. Meus rompantes de dor foram necessários, minhas noites de insônia clarearam o espírito. Minha fé se reforçou.
Já me agigantei me achando autossuficiente, já me senti frágil dentro do menor abalo, já chorei em silêncio. Hoje o tempo é outro. O Olhar também.
Mas não me faltam flores, nem o colorido do arco íris. Ainda sinto o cheiro daquele perfume amadeirado que percorreu meu corpo. Ainda guardo tesouros secretos. Tenho sentimentos mais discretos, tenho mais autonomia sobre minha vida.
Não mais me revelo tanto assim. Mas já me rebelei, já deixei transparecer tudo aquilo que não cabia mais. Já corri atrás até cansar os pés e descansar em algum lugar que não fosse um pesadelo a mais dentro das coisas que vivi.
Quando eu decidi segurar as rédeas vi que poderia soltá-las, poderia simplesmente não estar mais nem aí pra nada. Mas vi que meu fardo ninguém suporta. Por isso posso até arrebentar a corda, posso cair. Mas o que é meu não pertence a ninguém. Pertence a cada suspiro de felicidade ou tristeza, pertence a cada dia que me levanto e sei que preciso seguir.
Deus sabe de tudo, e eu o acompanho a cada segundo.
Dei o grito de liberdade porque a alma não estava mais à vontade. Foi aí, que eu provei do gosto da minha existência. Vivência essa que ninguém vive por mim.

Imagem - Google

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Com o tempo..

Com o tempo a gente vai percebendo muita coisa. Acho que vivemos de experimentos, vivemos realinhando coisas dentro de nós que antes não se mexiam. 
Ficavam estáticas, meio paralisadas.
Tem coisas que fizemos e que nos arrependemos, tem coisas que não gostamos mais de lembrar ou de pensar por não nos ter trazido boas lembranças.
A gente aprende a andar na corda bamba. Aprende a se valorizar mais. Aprende a decidir mais por nós mesmos e não pelos outros.
A gente aprende a dar a cara pra bater e deixa arder. Mas também a gente aprende a se defender a dosar a opinião dos outros, freando certas invasões para dizer que nós temos capacidade suficiente para pensar e resolver os conflitos que são nossos e muitas vezes não valem a interferência de ninguém.
Com o tempo a gente vai revendo a vida em uma grande tela imaginária. Vai observando onde os pés passaram onde a alma travou mais batalhas, onde o coração conseguiu interagir sem querer sair pela porta de emergência dentro das próprias urgências e querências. Dentro do caminhar mais lento. Dentro daquele suficiente que valeu por várias estações.
Vemos onde colocamos mais intensidade, onde nos fadigamos, onde descansamos sem peso na consciência.
Com o tempo a gente cresce, volta pra dentro de si mesmo, não quer mais aquele monte de coisa entulhada que só acumulou tristeza e dor.
A gente quer viver mais livre de um modo mais simples.
Quer se abraçar e se colocar no colo. Quer sentir a vida fazendo festa, quer agradecer e dizer que tudo vai ficar bem.
A gente só quer espreguiçar, tocar a vida pra frente.
Só quer aproveitar o tempo e fazer dele um grande companheiro. Assim como tudo de bom que Deus traz, e o coração abençoa sem machucar ninguém.
Imagem- Google.

terça-feira, 25 de julho de 2017

Faz tempo..

Faz tempo..
Se hoje você me perguntasse o que sinto por você, talvez eu não soubesse mais lhe dizer. Talvez eu travasse talvez eu sentisse as pernas tremerem o coração palpitar. Talvez eu me jogasse em seus braços e te roubasse um beijo demorado. Um beijo que selasse a saudade que por tantas vezes senti sem saber por onde você andava.
Talvez eu te abraçasse e passasse a mão nas tuas costas só pra sentir o calor do teu corpo junto do meu. Talvez eu te chamasse pra mais perto e te dissesse no ouvido aquilo que o corpo pediu e a alma não conseguiu esquecer.
Não sei. Sinceramente não sei. Talvez eu abrisse novamente aquele livro e sentisse o seu perfume saindo de dentro dele, ou anotasse novamente aquele número de telefone que já deve ter sido mudado assim como o nosso destino.
Hoje, eu sinto coisas diferentes, sinto que sobrevivi a esse tempo que me deixou com marcas, me deixou com a expressão de vazio depois de certo tempo. Mas deixou tanta intensidade, tantos desejos tantos sentimentos bons que não tem porque eu sentir raiva, sentir que a gente poderia ter dado certo, mesmo no meio daquele caos e daquele incerto que você jogou sobre meu colo.
Se hoje você me perguntasse o que tenho feito, eu diria que tenho sempre refeito meu caminho. Tenho andado mais sozinha e muitas vezes imaginariamente imagino te ver ali naquela esquina, naquele nosso esconderijo, naquele canto que um dia eu abri pra você e te recebi com carinho, com amizade, com os braços abertos pra te cuidar.
Já faz tempo. Muito tempo.
Mas hoje eu resolvi abrir a caixa de memória e colocar você pra fora, só pra relembrar que a vida traz, a vida leva e que nada justifica matar um amor assim.
Por isso o eternizo. Eternizo por ter sido bom, ter sido meu enquanto durou. Por ter me dado abrigo e felicidade no tempo que Deus permitiu.
Sil Guidorizzi..

domingo, 9 de julho de 2017

Estou em tempo de paz..

Estou fincando a alma naquilo que Deus me concede como fonte de amor e luz.
Ninguém pode me proibir de sentir felicidade ou coisa parecida.
Já espantei muitas dores, já replantei algumas mudas de flores.
Estou em tempo de paz.
Que a guerra dos outros não incomode meu jardim.

Descobri...

Eu descobri que quanto mais me curo, mais os nós vão se desfazendo e os dias vão mudando o rumo dos ventos. 
O coração vai seguindo com menos frio se movimentando entre os ideais que levo na bagagem e os sentimentos mais humanos.
Eu descobri que pra viver bem é preciso viver melhor por dentro e saber que tudo passa, tudo recomeça, tudo é questão de querer.
Deus sabe o que faz.
Ele sabe onde o calo de cada um aperta. Ele sabe onde cada um precisa ensinar e ao mesmo tempo, baixar a bola e aprender.
É preciso aceitação e menos julgar. É preciso negociar com a vida e parar com certas cobranças.
Hoje eu sei que mesmo sozinha tudo se mantém em luz e abrigo..
Não me tornei um ser perecível. Não tenho data de validade na alma.
Tornei-me alguém que aprendeu a reinventar a vida de um jeito mais sensorial, bonito, humano e simples.

sábado, 17 de junho de 2017

Não nasci pronta..

Sou aquele tanto que ninguém viu, aquele pouco que muito surpreendeu.
Sou o avesso de muitas coisas.
Sou o antes e o depois de muitos sentimentos que não me convenceram bem.
Não nasci pronta, mas fui aprendendo com o tempo.
Nada em mim desmerece a força de Deus.

Amor-próprio e fé demais não fazem mal a ninguém. E que Deus nos proteja!

Amor-próprio e fé demais não fazem mal a ninguém. E que Deus nos proteja!: Não vivo em um mundo de Alice. Vivo em um mundo de mulheres guerreiras que vão para cima e embarcam naquilo que desejam. E cada uma dessas mulheres possui

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Sinto algumas saudades..

Hoje ao olhar pro tempo me vejo em muitas coisas.
Sinto algumas saudades e procuro esvaziar o que transbordou.
Já não pressiono a vida, nem me impressiono com coisas fúteis e sem sentido pra alma.
As pessoas adoecem quando não se cuidam e precisam parar de bater sempre na mesma tecla, querendo provar que sempre tem razão.
Eu vejo sim, as nuances de Deus e os benefícios que ele proporciona em meu espírito.
Por isso perdoo me perdoo e prefiro amanhecer com o sentimento de que sempre vai haver uma nova chance me esperando em algum lugar deste plano.
Eu só desejo ser acolhida em amor e luz dentro de cada agradecimento e cada amém.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Vai dar certo..

As coisas vão acontecendo por fora, e o coração vai se modificando por dentro.
Aprendi a parar de interrogar o tempo.
Agora o que for pra ir vai.
O que for pra ficar fica.
Fiz um pacto com minha alma, fiz um acordo de paz com os dias.
Sinto que vai dar certo. 
Sinto que o incerto também caminha.

Sil Guidorizzi.